mediaveritas

mediaveritas

Alunos da Universidade do Porto criam aplicação contra “fake news”


Uma ferramenta para avaliar se uma notícia é verdadeira ou falsa acaba de ser criada por três alunos do curso de Bioengenharia da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Cama-se "TruCheck", ainda está na fase de protótipo e pode ser utilizada como aplicação do telemóvel.

 

A solução apresentada venceu a quarta edição da competição internacional 'Devogame by Devoteam', um concurso que premeia as soluções tecnológicas mais inovadoras, criadas por estudantes universitários, para fazer face a crises globais.

Leonor Sá, uma das vencedoras, explicou a origem do projecto:

"Queríamos fazer a junção de várias vertentes, pensámos na política, alimentação e saúde e de que forma poderíamos juntar todos estes temas. Foi então que nos apercebemos que o problema das 'Fake news' relaciona todas estas vertentes".

Em declarações à agência Lusa, a jovem universitária explicou que a aplicação, designada 'TruCheck', surge também da necessidade de serem desenvolvidas soluções "que acompanhem o ritmo de propagação destas notícias".

"As 'Fake news' são um problema que cada dia cresce mais. Estamos a viver numa sociedade em que o ritmo de propagação de notícias é muito elevado e não estamos a conseguir acompanhar isso com soluções para percebermos até que ponto essas notícias são verídicas ou não", disse.

E acrescentou: "Precisávamos de conseguir responder às necessidades do público e facilitar ao utilizador a receção dessa informação sem que fosse preciso aceder a outras plataformas".

Segundo Leonor Sá, a 'TruCheck' poderá ser instalada diretamente no telemóvel dos utilizadores sob a forma de aplicação ou associada a diferentes marcas de operadores através de serviços de 'pop-up'.

"Por exemplo, estou a utilizar o Messenger e alguém me manda uma notícia, a 'TruCheck' o que faria era abrir um 'pop-up' para verificar o quão fiável é a notícia, através de uma verificação automática", exemplificou a jovem.

Assim, alicerçada numa base de dados de fontes de verificação e num sistema de algoritmos 'machine learning', a aplicação permitirá "fazer uma verificação automática do conteúdo divulgado nas redes sociais ou outras plataformas".

À Lusa, Leonor Sá avançou que apesar da solução ainda não ter sido desenvolvida e estar em "'stand-by'", os jovens têm agendada, para as próximas semanas, uma reunião com alguns representantes da empresa tecnológica Bold by Devoteam, em Lisboa.